No ano passado, as 93 empresas brasileiras cadastradas no programa emitiram 111,6 milhões de toneladas de gases. O número representa uma queda de 1% em relação às 112,8 milhões de toneladas emitidas no ano anterior.

No mesmo período, o número de empresas participantes do programa subiu 11%. Para o coordenador do GVces, Mário Monzoni, o resultado é positivo e mostra o maior comprometimento das empresas brasileiras com a sustentabilidade na produção.
O impacto total da produção das 93 companhias, no entanto, chega a 900 milhões de toneladas de gases emitidos em 2011, quando somados os 784 milhões de toneladas em emissões mapeadas na cadeia produtiva das companhias, e as 3,3 milhões de toneladas produzidas na geração de energia consumida pelas empresas.

A adesão ao Programa Brasileiro do Protocolo PGH é voluntária. Dentre as participantes, estão algumas das maiores empresas do país, como a Petrobras e a Vale. Esse é um mecanismo de autorregulação, ninguém está mandando que as empresas façam isso, diz Monzoni. Mas sabemos que as empresas têm o interesse de mostrar para o mundo que estão reduzindo as emissões de gases e mostrar também como seus produtos são competitivos em termos de emissões.

Segundo ele, com uma matriz energética comparativamente mais limpa, o Brasil pode ter um diferencial para a atração de empresas. Dar visibilidade e transparência a essas emissões pode ser muito bom para as empresas, explica Monzoni.

A partir do próximo ano, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) vai creditar as empresas verificadoras das emissões. Quando se fala de ambiente, você tem que garantir que essas emissões estão sendo verificadas.

Quando forem feitas as verificações no ano que vem, podemos esperar que serão r feitas com muito mais qualidade, diz Monzoni. A norma internacional de verificação de emissões foi traduzida recentemente para português.

O programa é uma parceria entre a Fundação Getulio Vargas (FGV) e o World Resources Institute (WRI) com o apoio do Ministério do Meio Ambiente e do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS).
       
Divulgado no relatório do Programa Brasileiro do Protocolo PGH, divulgado pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces).
 
Por:
Fonte: Bolsavalores
Data:
 
Empresas brasileiras reduzem nível de emissão de gases